PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Vídeo de Mia Khalifa vestida de noiva abre debate nas redes

Flora Paul

09/12/2019 08h03

No giro desta segunda (9), a prova de que nem só de memes e piadas vivem as redes sociais: uma discussão importante sobre a ex-atriz pornô Mia Khalifa, a viralização de um presépio questionando a detenção de imigrantes ilegais nos Estados Unidos e a importância da representatividade, seja no Miss Universo, seja no dia a dia.

Vídeo de Mia Khalifa vestida de noiva abre debate nas redes

Neste domingo (8), Mia postou um vídeo sorridente, experimentando um vestido de noiva. Poderia ser só mais um momento feliz na vida de uma mulher com 18 milhões de seguidores. Mas, caso você não saiba, Mia ficou conhecida quando, aos 21 anos, atuando em filmes pornô, usou um hijab (véu usado por algumas muçulmanas) em cena e chegou a ser ameaçada pelo Estado Islâmico. Hoje, aos 26 anos, a libanesa fala abertamente sobre a complexidade de seu passado. Também este ano, Mia anunciou que ficou noiva. O vídeo sorrindo ao provar vestidos causou comoção nas redes sociais brasileiras quando um usuário de Twitter postou "A MIA KHALIFA vai CASAR e você com medo de assumir tua mina ai" e começou a viralizar, com mais de 10 mil curtidas. Isso prontamente abriu uma discussão, com uma mensagem clara: uma mulher tem todo o direito de querer se casar (ou não, aliás), independentemente do que viveu.

Veja também

Igreja norte-americana faz presépio natalino com Jesus em cela para discutir detenção de imigrantes
A ONU estima que mais de 100 mil crianças estão em centros de detenção de imigrantes ilegais nos Estados Unidos, separadas de seus pais. Pensando nisso, a igreja metodista Claremont United, no estado norte-americano da Califórnia, fez um presépio com Jesus, Maria e José separados e presos em celas. "O que aconteceria hoje se esta família fosse se refugiar em outro país?", questionou a igreja. A imagem já recebeu mais de 20 mil compartilhamentos no Facebook e um tuíte contando o acontecimento já supera 10 mil likes.


Representatividade importa
Neste domingo, a sul-africana Zozibini Tunzi foi coroada Miss Universo 2019. Antes mesmo de vencer o concurso, Zozibini, negra de pele escura e com cabelos curtos, falou como gostaria de poder ajudar a autoestima de crianças como ela. A importância dessa representatividade não passou batido com sua vitória:

Outra história sobre representatividade também viralizou no Twitter, com mais de 5 mil curtidas. Alina é uma mulher trans e sempre posta sobre sua vida nas redes sociais. Desta vez, contou sobre como atendeu uma mulher também trans na loja em que trabalha, e como a consumidora ficou feliz em se ver representada.

Até o giro de amanhã!

Erramos: diferentemente do informado, Mia usava um hijab. A informação foi corrigida. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre a autora

Flora Paul, jornalista, foi coordenadora na UOL, editora no BuzzFeed Brasil e repórter de MTV, Glamour e Tpm. Paulista nascida na Avenida Paulista, fixou residência na internet.

Sobre o blog

Aqui você encontra os memes e histórias virais nas redes sociais bem antes delas chegarem ao seu WhatsApp.

Viralizando